comédia

Posts na tag comédia

Putz Grill: risada garantida!

jun 06, 2013 às 09:59 por em Arte, Home . 0 comentários

Olá gente, tudo bem?

Nossa, reparei como faz tempo que não escrevo nada sobre arte em geral (cinema/teatro/livros). É que a correria está tão grande por causa da arrumação do escritório + apresentação do TCC + blog + assessoria, que eu quase não estou tendo tempo para nada =/…só nesse feriado que consegui sentar, assistir Django de novo ( o Pedro não tinha visto) e ir ao teatro após a trilha com a Puppy (sim, tivemos pique, não me pergunte como).

Fomos assistir Putz Grill com o Oscar Filho, peça que sempre tive vontade de assistir *-

5178

Tudo foi exatamente como esperava: piadas de bom gosto, que iriam me fazer rir até a barriga doer! O stand-up dele é demais, tanto que conseguiu tirar em uma hora e meia, o cansaço e o sono que eu tinha. Mas como ele mesmo disse assim que entrou no palco: “não espere ficar culto ou ver algo relacionado a arte no meu show”, pois é, é apenas para se divertir ( o que é ótimo para relaxar). Já gostava muito dele no CQC e acabei gostando mais ainda no stand-up, isso porque o Oscar Filho consegue fazer piadas com todas as situações da vida (tanto do nosso cotidiano quanto da vida dele) e também não perde o “fio da meada” entre uma piada e outra, o que é ótimo para manter o show harmônico e até com um certo sentido.

Fica a dica para quem quer se divertir e rir demaaaais! Os ingressos até que são baratos, sendo R$50,00 a inteira e R$25 a meia e o Putz Grill ocorre no Teatro Gazeta, lá na Paulista!

Beijo Beijo

 

 

Livros: Marian Keyes

abr 23, 2013 às 12:24 por em Cantinho da Leitura, Home . 0 comentários

Olá queridas, tudo bem?

Como hoje é o Dia Mundial do Livro, então nada mais justo que prestar uma singela homenagem falando sobre a minha autora predileta né? Trata-se da Marian Keyes, escritora que sou superfã desde sempre! Já devorei todos eles (sempre em menos de uma semana) e até repeti a leitura de alguns, já que sempre me deixaram com vontade de viver suas histórias junto com os personagens. É uma coisa maluca e ao mesmo, deliciosa. E quando acaba…ah, quando acaba é muito triste! Fico com a impressão que os personagens continuaram vivendo e eu parei no tempo, sem saber de mais nada. Ok, isso é mais louco ainda né?

Bom, Marian é irlandesa, e conseguiu despertar em mim a vontade de conhecer a Irlanda, principalmente Dublin. É incrível como autores e livros têm uma influência grande em nossas vontades, desejos e até conquistas, né? Bom, lendo a a sua biografia, percebi que muitas histórias contadas (principalmente as que se referem às irmãs Walsh) tem a ver com a sua própria vida, uma vez que ela já travou batalhas contra alcoolismo, suícidio e recentemente, depressão.

7024199_1gg

Em seu trajeto, ela escreveu 16 títulos, sendo 10 traduzidos para o português: Melancia, Férias, Sushi, Casório?!, É agora…ou Nunca, Los Angeles, Um Best Seller para Chamar de Meu, Tem Alguém Aí?, Cheio de Charme e A Estrela mais Brilhante do Céu. Quatro destes livros são os meus preferidos: Melancia, Férias, Los angeles e Tem Alguém Aí?, pois contam a história de cada uma das irmãs Walsh, que são divertidíssimas e enfrentam os dilemas de qualquer mulher da face da terra, fazendo com que o leitor se sinta parte do livro (outra loucura…). Sem contar que os livros são temporais, ou seja, mesmo tendo sido escritos em anos diferentes, eles acompanham a evolução do tempo junto com a gente. Pesquisando para esse post, acabei descobrindo que o último livro das irmãs Walsh (faltava a história de Helen) foi lançado nos EUA em setembro do ano passado e já comecei a ficar ansiosa para o lançamento aqui. Oh God!

Imagem1

Uma coisa que eu tenho que comentar é: eu AMO as capas dos livros brasileiros (se você pegar a versão original, vai ver que as capas são bem inferiores).

Em relação aos outros livros, os que eu mais gosto são: É Agora…ou Nunca, Um Best Seller para Chamar de Meu e Cheio de Charme. Como eu disse anteriormente, todos (todos mesmo!) tratam de assuntos polêmicos como perda de entes queridos, violência doméstica, estupro, depressão, alcoolismo e por aí vai…Mas não deixam de ser interessantes, pelo contrário. Outro detalhe bacana, é que há um nome para o gênero adotado por Marian: Chick Lit, que nada mais é do que ficção feminina que trata de assuntos da mulher moderna. Chique né?

Bom gente, é isso! Espero ter conseguido passar um pouquinho do que sinto quando leio os livros dessa autora espetacular!

Beijo Beijo