cinema

Posts na tag cinema

O que eu achei: 12 Anos de Escravidão

fev 24, 2014 às 12:54 por em Filmes/Cinema, Home . 0 comentários

Olá queridonas, como vocês estão?

Mais uma semana começa e ela promete ser muito especial, afinal, o Carnaval está chegando e a cerimônia do Oscar também! Acredito que já imaginam quais vão ser as principais pautas do blog nesses dias, né? Já adianto que preparei um Especial de Carnaval super bacana para vocês e também que estou me esforçando para assistir todos os filmes indicados ao Oscar, como no ano passado, mas acho que não vou conseguir, afinal, esse ano estou trabalhando o triplo que em 2013, então, o tempo livre está bem curto =/.

Bom, nesse final de semana fui assistir 12 Anos de Escravidão, filme que ganhou a categoria “Melhor filme de drama”, do Globo de Ouro:

poster_12_anos_de_escravidaoGostei MUITO da história, que é baseada em fatos reais e conta a vida de Solomon Northup (interpretado por Chiwetel Ejiofor), um escravo que é libertado e sequestrado tempos depois, para voltar a ser escravo. Loucura, né? Mesmo tendo sido libertado, ele só é resgatado do sequestro 12 anos depois, não, vocês não leram errado. Apenas 12 anos depois ele volta a ter liberdade. Enquanto assistia o filme, fiz um paralelo com o racismo que ainda vivemos nos dias de hoje…é lamentável saber que muitos negros continuam sendo tratados como se fossem escravos, em pleno século XXI.

ana-12-anos-escravo-pn-img3

 

O filme é muito realista quando mostra os maus tratos sofridos por Solomon, que passa a ser chamado de Platt (seu nome de escravo) e é triste demais ver como ele sofre ao ficar longe da família e como ele se esforçar para recuperar a vida que tinha. Não tem como não se emocionar, diria até que é impossível, chorei demais!

Se você gosta de drama e de filmes que retratam uma história verdadeira, vai adorar 12 anos de escravidão!

Beijo Beijo

O Lobo de Wall Street

fev 10, 2014 às 10:08 por em Filmes/Cinema, Home . 0 comentários

Olá queridonas, que tal começar a semana com um filme TOP?

MV5BMjIxMjgxNTk0MF5BMl5BanBnXkFtZTgwNjIyOTg2MDE@._V1_SX640_SY720_

Semana passada assisti esse filme maravilhoso com o Leonardo DiCaprio, que conta a história de Jordan Belfort, um cara comum – pelo menos ele era bem comum no início do filme, que aprendeu como ser ‘esperto’ com Mark Hanna, seu chefe na corretora de Wall Street. Após um tempo de trabalho, a corretora enfrenta uma grave crise e Jordan fica desempregado, porém, ele logo consegue um emprego em uma corretora pequena, que ensina à ele como trabalhar com papéis de baixo valor e obter uma comissão enorme, ou seja, eles enganam os compradores para ganhar muuuito dinheiro em cima da compra efeutada. E é aí que ele percebe como tem o dom de vender e de persuadir as pessoas, então, nada mais justo que criar a sua própria empresa e aplicar tudo que aprendeu. Então, ele se junta à Donnie e outros amigos e criam a Stratton Oakmont, empresa que tem como missão fazer todos os funcionários enriquecerem loucamente – além de viverem em uma festa constante.

A história é basicamente essa, mas o desenrolar dela é MUITO interessante, já que é possível perceber como o dinheiro faz – literalmente – a cabeça das pessoas. Depois que ele começa a ganhar muito dinheiro, também começa a se envolver com drogas pesadas (e isso é mostrado explicitamente no filme) e a transar com meio mundo, esquecendo que era casado, que tinha uma esposa e uma vida boa ao lado dela. Isso tudo é contado e mostrado de uma maneira engraçada – é o próprio Jordan que narra a história – mas não tem como não pensar em como ele mudou no decorrer da história e tudo por causa do dinheiro e ganância.

Os pontos fortes são muuuuitos, mas o que chama atenção é o lifestyle da empresa criada, que é completamente fora do comum, e também a própria vida do personagem principal, que é muito bem interpretada pelo DiCaprio. Já o único ponto fraco é a duração do filme, que gira em torno de 3 horas (OMG), e qualquer um percebe que tem partes que podiam ser encurtadas ou até cortadas.

De maneira geral, vale MUITO a pena assistir “O Lobo de Wall Street”, principalmente para entender porque ele está cotado à vencer o Oscar 2014.

=)

Alguém já assistiu? Também gostou?

Beijo Beijo

 

 

 

O que eu achei: Ninfomaníaca

jan 21, 2014 às 10:43 por em Filmes/Cinema, Home . 0 comentários

Olá queridonas, como estão?

Em algum momento (não lembro em qual post), eu falei que tinha ido ao cinema no final de semana passado, lembram? Então, fui ver o tão comentado filme do Lars Von Trier: Ninfomaníaca. Vocês já perceberam que eu gosto de vários tipos de filmes, inclusive os “cult” e não é diferente com os filmes desse diretor que eu aprendi a gostar na faculdade – sim, quando você faz propaganda e marketing na ESPM, tem que assistir alguns filmes desconhecidos e que fogem do comum, sabe? E foi aí que me apaixonei pelos filmes semióticos e em sua maioria, estrangeiros.

Bom, como não podia deixar de ser, o filme me prendeu bastante e eu adorei a forma com que a história foi contada e com os paralelos que rolam no meio. Se você não gosta de histórias “interrompidas” – quando outra pessoa interrompe o narrador e explica o que entendeu da fala – e de meios figurativos para explicar o que está acontecendo, é melhor nem assistir Ninfomaníaca. Ah, se você estiver esperando um pornô pesado, também esqueça. Não foi para isso que Lars Von Trier veio.

ninfomaniaca-von-trier-poster

Lembra o que falei acima sobre assistir filmes na faculdade? Então, encontrei no perfil do professor responsável pela matéria, uma síntese perfeita sobre o filme:

“Uma rebelião contra o amor

Ninfomaníaca, de Lars von Trier, põe em xeque as diferenças entre sexo e amor, vai fundo, coloca o dedo na ferida contemporânea da ausência de vínculos nas relações. Quem espera erotismo tosco vai encontrar arte, cinema inteligente, construções de cenas e personagens que dão o tom do anticlímax psicológico que sai da cama e constrói a intimidade longe dela, numa longa confidência que é a “memória” do filme. Trata-se do conflito permanente sobre o significado da liberdade, a fuga pelo prazer e a inevitável frustração. 

A ninfomania é abordada como ausência de sensibilidade que deflagra uma rebelião contra o amor. Por que? Porque amor é risco e sofrimento, “luxúria e ciúmes”, “nos faz mentir dizendo não quando queremos dizer sim”, segundo as palavras da protagonista Joe. Então, escapa-se dele pelas relações polifônicas, mostradas com maestria numa analogia entre sexo e música, com uma personagem dividida entre vários homens ao som de Bach. A frase “o segredo do sexo é o amor” é o enigma a ser decifrado pelas mulheres que gozam a liberdade de cair no vazio. Mas o vazio de Lars von Trier carrega uma poesia devastadora nas cenas mais cruas que invadem genitálias e provocam nossos sentidos até reencontrar a emoção sob as camadas mecânicas do sexo.”

Ansiosa para o Ninfomaníaca 2!!!!

Beijo Beijo

Vencedores do Globo de Ouro

jan 14, 2014 às 19:48 por em Filmes/Cinema, Home . 0 comentários

Olá queridonas, como estão?

Ontem eu comentei os looks do Globo de Ouro e hoje vou comentar os vencedores da categoria “cinema”, pois não sou de acompanhar séries ou minisséries em tempo real – sempre assisto depois, ou seja, enquanto você está esperando ansiosamente a quarta temporada de Game of Thrones, por exemplo, eu ainda não assisti nem a terceira (sim, é o que está acontecendo no momento…hahahaha).

Ah, para quem não sabe, a grande diferença entre a cerimônia do Globo de Ouro e o Oscar – além das premiações do primeiro serem tanto para cinema quanto para TV – é que os jurados são jornalistas que vivem em Hollywood, mas que não são associados à mídia dos EUA, ou seja, os votos são de pessoas que não fazem parte da indústria hollywoodiana. Então, vamos lá:

Melhor Filme – Drama: 12 anos de escravidão

2014-01-13t043001z_1685849604_tb3ea1d0chqkd_rtrmadp_3_film-goldenglobes

O filme conta a história de um escravo que é libertado e depois, “sequestrado” e obrigado à servir por 12 anos, até ser libertado. Parece ser uma história interessante, mesmo que já existam “mais do mesmo” por aí. Com certeza vou assistir, ainda mais depois do prêmio!

Melhor Filme – Comédia ou Musical: Trapaça

size_590_trapaca-globo-de-ouro

Esse final de semana fui no cinema (vou fazer post sobre o filme!) e vi o trailer desse filme. Gostei MUITO e já estou ansiosa para assistir! A história não podia ser diferente: é sobre um trapaceiro que, junto com sua sócia, começa a trabalhar com um agente do FBI, mas tudo que parece estar indo bem, começa a ir mal.  Espero que seja bom!

Melhor Ator – Drama: Matthew McConaughey (“Clube de compras Dallas”)

size_590_Matthew-McConaughey

Adoro Matthew e mesmo não tendo assistido ao filme, acredito que mereceu o prêmio.

Melhor atriz – Drama: Cate Blanchett (“Blue Jasmine”)

size_590_cate-blanchett

Cate atua no filme de Woody Allen e protagoniza uma mulher rica, que perde todo seu dinheiro e é obrigada a aprender a se virar com o que lhe restou. Estou curiosíssima para ver esse filme, ainda mais por ser deste graaaande diretor!

Melhor Ator – Comédia ou Musical: Leonardo DiCaprio (“O lobo de Wall Street”)

size_590_leo-dicaprio

Também vi o trailer de “O Lobo de Wall Street” e Leonardo diCaprio está impecável! Com certeza esse será o próximo filme que vou assistir (ainda está em cartaz).

Melhor Atriz – Comédia ou Musical: Amy Adams (“Trapaça”)

size_590_amy-adams

Amy é uma das protagonistas de “Trapaça” e só pelo trailer vi que mandou bem!

Melhor Ator Coadjuvante: Jared Leto (“Clube de compras Dallas”)

size_590_jared-leto

Outro ator de Clube de Compras Dallas a levar o prêmio. Não o conheço e espero gostar dele no filme =)

Melhor Atriz Coadjuvante: Jennifer Lawrence (Trapaça)

rs_560x415-140112180741-1024.jennifer-lawrence-winner-golden-globes-2014

A queridinha de Hollywood não podia deixar de ganhar mais essa, né? No trailer do filme ela aparece bem pouco, mas não tenho dúvidas que sua participação foi ótima. Depois vou contar aqui o que achei.

Melhor Diretor: Alfonso Cuarón (“Gravidade”)

size_590_alfonso-cuaron

O filme de Alfonso tem ninguém mais, ninguém menos que Sandra Bullock e George Clooney no elenco e só por isso já promete ser bárbaro. Mas foi a história diferente, que acontece no espaço sideral e a direção impecável que conquistou os jurados.

Melhor Roteiro: Spike Jonze (“Ela”)

size_590_spike-jonze

A história curiosa de um homem que se apaixona pela voz de um sistema de computador, deu o prêmio à “Ela”. Confesso que eu também fiquei curiosa para ver o filme !

Melhor Filme Estrangeiro:“A grande beleza”, da Itália

size_590_a-grande-beleza

 O filme estrangeiro que levou a melhor, conta a história de um escritor que teve um grande único sucesso. Não sei se a história é bacana, lendo na crítica não parece tanto, mas acho que vale a pena ver, né?

Melhor Animação: “Frozen: Uma aventura congelante”

size_590_frozen-globo-de-ouro

Ouvi falar muito sobre o filme Frozen nos últimos tempos, mas ainda não assisti a animação. Assim como todas as animações, essa é fofinha e com personagens que conquistam à todos. Quero muuuito ver!

Bom meninas, essas foram as minhas considerações sobre os vencedores do Globo de Ouro.

E vocês, o que acharam?

Beijo Beijo

O que achei: Bling Ring

set 16, 2013 às 12:16 por em Filmes/Cinema, Home . 0 comentários

Olá queridonas, como estão?

Semana passada fui ao cinema com a Kah (do Diikah) e com a irmã dela (que é uma fofa!), e resolvemos assistir Bling Ring, da queridíssima Sofia Coppola. Ok, nós somos atrasadas…mas, vamos pular essa parte!

Film-Bling-Ring-1024x718

67817_579454025406369_440022048_n

Bom, como vocês já devem ter ouvido falar, o filme fala sobre uma gangue de Hollywood, formada por cinco integrantes oficiais (e alguns aleatórios, que apareciam de vez em quando), que tinham um hobby curioso: invadir e furtar casas de celebridades. Pois é…o filme conta desde a formação do grupo até o desfecho final, e é muito interessante ver como o psicológico das pessoas atua nessas situações, além de como tem uma responsabilidade grande em cima de tudo que acontece na vida de alguém.

Fica claro que esses jovens queriam nada mais do que o status de celebridades, sendo que chegavam a se sentir como uma. A atuação dos atores não deixou a desejar e todos me convenceram, cada um em sua particularidade, já que suas características principais eram diferentes: um era desencanado, o outro era medroso e abaixava a cabeça para os amigos, o outro não estava nem aí para ninguém, nem para os colegas, etc. A partir daí, é possível entender melhor essas relações no final do filme, onde elas tem um peso grande na condenação de cada um e também quando os próprios personagens percebem quem foi amigo de verdade e quem não foi.

Agora, saindo do aspecto psicológico do filme e partindo para o que foi roubado das casas, é impossível não querer toooodas as roupas, sapatos, bolsas, jóias, maquiagens da Lindsay Lohan, Paris Hilton, Megan Foxx, e de todas as outras celebs que aparecem, hahahahaha.

Amei o filme e acho que vale a pena para quem quer se distrair ou para quem quer tentar entender o que levou esses jovens a fazer isso, digo isso porque eu adoro analisar a psicologia dos filmes!

Beijo Beijo